Academic Journals Database
Disseminating quality controlled scientific knowledge

Ação da cinetina, ácido indolbutírico e ácido giberélico na emergência do girassol sob estresse por alumínio

ADD TO MY LIST
 
Author(s): Carlos Alan Couto | Clovis Pereira Peixoto | Elvis Lima Vieira | Everton Vieira Carvalho | Vicente Américo Barbosa Peixoto

Journal: Comunicata Scientiae
ISSN 2176-9079

Volume: 3;
Issue: 3;
Start page: 206;
Date: 2012;
Original page

Keywords: Helianthus annuus L. | solução nutritiva | Stimulate® | toxidez por alumínio

ABSTRACT
Objetivou-se avaliar a ação do bioestimulante vegetal Stimulate® (0,009% de cinetina, 0,005% de ácido indolbutírico e 0,005% de ácido giberélico) na emergência de plântulas de girassol (Helianthus annuus L.), em condições de estresse por alumínio. Utilizou-se tricloreto de alumínio, AlCl3, na concentração de 4 mg L-1 e o bioestimulante vegetal Stimulate® nas concentrações: 0,5, 2,0, 3,5 e 5,0 mL L-1 e como controle água. As sementes de girassol da variedade BR 122 foram pré-embebidas nas soluções (tratamentos) por 4 horas e em seguida semeadas em bandejas contendo areia lavada. Foram utilizados 200 sementes para cada tratamento em 4 repetições de 50 sementes cada. A solução contendo 4 mg L-1 de Al+3, foi ajustada para o pH 4,5 e em seguida irrigou-se todas as bandejas, inclusive o controle, até atingir 60% de saturação hídrica. Aos três dias após a semeadura (3 DAS), foi avaliada a porcentagem de plântulas emergidas no primeiro dia (PEM1). Quando ocorreu a estabilidade da emergência, aos 13 DAS, foi avaliado o índice de velocidade de emergência (IVE). O delineamento experimental foi inteiramente casualizado com 5 tratamentos e 4 repetições e os dados submetidos à análise de variância e estudo de regressão polinomial. A pré-embebição de sementes de girassol com bioestimulante vegetal promove aumento significativo no início da emergência de plântulas de girassol em condições de estresse com alumínio
Why do you need a reservation system?      Affiliate Program