Academic Journals Database
Disseminating quality controlled scientific knowledge

Atividade ovariana pós-parto em ovelhas Santa Inês sob diferentes manejos de amamentação na região semiárida do Nordeste Ovarian activity in Santa Inês sheep under different types of suckling in semi-arid area of Brazil

ADD TO MY LIST
 
Author(s): Angela Maria Xavier Eloy | Pedro Humberto Félix de Souza | Aurino Alves Simplício

Journal: Revista Brasileira de Saúde e Produção Animal
ISSN 1519-9940

Volume: 12;
Issue: 4;
Date: 2011;
Original page

ABSTRACT
Objetivou-se investigar o efeito de diferentes manejos de amamentação sobre a atividade ovariana pós-parto em ovelhas da raça Santa Inês por meio das concentrações circulantes de progesterona. Foram utilizadas 18 fêmeas com idade entre 22 e 72 meses. Após o parto, os cordeiros ficaram com as ovelhas até o 14º diae, a partir do 15º dia foram distribuídas em dois grupos: amamentação contínua (n=9) e controlada (n=9). As coletas de sangue para a dosagem de progesterona aconteceram a cada sete dias a partir do parto até o primeiro estro e, em seguida, a cada quatro dias até o segundo estro. Houve atividade ovulatória silenciosa antes do primeiro estro pós-parto em 85,70% (5/9) e 25% (3/9) das fêmeas em amamentação contínua e controlada, respectivamente. As ovelhas com amamentação contínua apresentaram o estro mais tardiamente (37,71±3,34 dias) do que as com mamada controlada (26,12±2,4 dias). As concentrações plasmáticas de progesterona entre o parto e o primeiro estro foram 2,81±1,58ng/mL vs 1,45±0,59ng/mL e ao estro 0,25±0,34ng/mL vs 0,32±0,18ng/mL para amamentação contínua e controlada, respectivamente. Os níveis médios de progesterona entre o primeiro e o segundo estro pós-parto foram 1,53±0,54 ng/mL e 2,50±1,09ng/mL, para amamentação contínua e controlada, respectivamente, estes estros ocorreram em 77,7% vs 100% e 66.6% vs 100% das fêmeas, na mesma ordem. Conclui-se que a amamentação tem influência sobre a atividade ovariana pós-parto em ovelhas Santa Inês e ciclos curtos e silenciosos são necessários para uma atividade cíclica normal no pós-parto.Aiming to investigate the suckling effect on ovarian activity in postpartum Santa Inês ewes through progesterone levels, it was used 18 females aging between 22 and 72 months. After parturition, the lambs stayed with the dams until the 14th day and from the 15th day they were divided in two treatments: continuous and controlled suckling. The blood collection for progesterone happened each seven days from parturition until the first estrous, and, thereafter, each 4 days until the second estrous. There was a silence ovulatory activity before the first postpartum estrous in 85.70% and 25% of the animals submitted to continuos and controlled suckling, while the occurrence of first estrous in the first group was delayed (37.71±3.34 days) in relation to controlled suckling group (26.12±2.4 days). The progesterone average levels between the parturition and the first estrous postpartum were 2.81±1.58ng/mL versus 1.45±0.59ng/mL, and on estrous were 0.25±0,34ng/mL versus 0,32±0,18ng/mL, for females under continuos and controlled suckling, respectively. The progesterone average levels between the first and the second estrous postpartum were 1.53±0.54ng/mL and 2.50±1.09ng/mL, for females under continuos and controlled suckling, respectively, happened these estrous in 77.7% versus 100% and 66.6% versus 100% for females, in the same order. It is concluded that suckling stimuli has influence on the postpartum ovarian activity in Santa Inês ewes and short and silent cycles are necessaries to normal postpartum ovarian cyclic.

Tango Jona
Tangokurs Rapperswil-Jona

     Save time & money - Smart Internet Solutions