Academic Journals Database
Disseminating quality controlled scientific knowledge

Body condition at calving and milk yield on reproductive performance of lactation holstein cows Condição corporal ao parto e produção de leite sobre o desempenho reprodutivo de vacas holandesas em lactação

ADD TO MY LIST
 
Author(s): Anselmo Domingos Ferreira Santos | Francisco Palma Rennó | Nadja Gomes Alves | Ciro Alexrandre Alves Torres | José Carlos Pereira | Claudio Vieira de Araújo

Journal: Revista Brasileira de Saúde e Produção Animal
ISSN 1519-9940

Volume: 11;
Issue: 3;
Date: 2010;
Original page

ABSTRACT
It was aimed to evaluate the effects of the body condition (BCS) at calving and of the change in body condition on the reproductive performance of cows postpartum. Then, 51 holstein cows, at 30 days prepartum to 150 days postpartum, were distributed, randomly, in agreement to the BCS at calving in the classes1 (BCS greater than or equal to 3,25) and 2 (BCS less than or equal to 3,0). Inside of the classes of BCS at calving, the cows were distributed as change in body condition (Category 1, equal or less than -0,50 and Category 2, equal or larger than -0,75) and according to the average of the production of milk adjusted to 3.5% to the 150 days (Group 1 = 22,61 and Group 2 = 31,65kg/day). There were no differences of BCS at calving and of production of milk adjusted to 3.5% on interval parturition first estrus, interval parturition first service, period of service, number of service / conception and gestation rate to 150 days of lactation. Cows that presented average of BCS of 3,40 and 2,79 at calving had equal postpartum reproductive performance. In relation to production of milk adjusted to 3.5%, cows with medium production of 22,61 and 31,65 presented similar results. The change in body condition did not influence the interval parturition first service, period of service and number of service / conception, but presented larger interval parturition first estrus and smaller gestation rate.O objetivo, neste estudo, foi avaliar os efeitos da condição corporal ao parto e da mudança de condição corporal sobre o desempenho reprodutivo de vacas leiteiras após o parto. Para tanto, 51 vacas holandesas, de 30 dias pré-parto até 150 dias após o parto, foram distribuídas aleatoriamente de acordo com a condição corporal ao parto nas classes 1 (condição corporal maior ou igual a 3,25) e 2 (condição corporal menor ou igual a 3,0). Dentro das classes de condição corporal ao parto, os animais foram distribuídos quanto à mudança de condição corporal (Categoria 1, igual ou menor que -0,50 e Categoria 2, igual ou maior que -0,75) e à média da produção de leite ajustada para 3,5% aos 150 dias (Grupo 1 = 22,61 e Grupo 2 = 31,65 kg/dia). Não houve diferenças da condição corporal ao parto e da produção de leite ajustada para 3,5% sobre o intervalo parto primeiro estro, intervalo parto primeiro serviço, período de serviço, número de serviço / concepção e taxa de gestação aos 150 dias de lactação. Vacas que ao parto apresentaram média de escore de condição corporal de 3,40 e 2,79 tiveram semelhante desempenho reprodutivo pós-parto. Em relação à produção de leite ajustada para 3,5%, vacas com produção média de 22,61 e 31,65 apresentaram similares resultados. A mudança de condição corporal não influenciou o intervalo parto primeiro serviço, o período de serviço e o número de serviço por concepção, mas apresentaram maior intervalo parto primeiro estro e menor taxa de gestação.

Tango Rapperswil
Tango Rapperswil

     Save time & money - Smart Internet Solutions