Academic Journals Database
Disseminating quality controlled scientific knowledge

Contribuição da glicemia pós-desjejum para o controle glicêmico do paciente com diabetes melito tipo 2

ADD TO MY LIST
 
Author(s): Sartori Maria Salete | Aragon Flávio Ferrari | Padovani Carlos Roberto | Pimenta Walkyria de P.

Journal: Arquivos Brasileiros de Endocrinologia & Metabologia
ISSN 0004-2730

Volume: 50;
Issue: 1;
Start page: 53;
Date: 2006;
Original page

Keywords: Glicemia pós-prandial | Glicemia pós-desjejum | Hemoglobina glicada | Diabetes melito tipo 2

ABSTRACT
Estudos epidemiológicos observaram que glicemias pós-prandiais (GPPs) elevadas são fator principal na ocorrência de doenças cardiovasculares. Sabe-se que a hemoglobina glicada (HbA1C) reflete a glicemia média dos últimos 2-3 meses, entretanto é controversa a contribuição relativa da glicemia de jejum (GJ) e GPP para o valor da HbA1C. OBJETIVO: Avaliar a contribuição da GJ e GPPs para o valor da HbA1C em pacientes com diabetes melito tipo 2 (DM2). MÉTODOS: Participaram 53 indivíduos com DM2, estáveis e em tratamento com antidiabéticos orais (n= 27) e/ou insulina (n= 26). Cada paciente comparecia a 3 visitas a intervalos de 2 meses. Em cada visita era medida a GJ, as GPPs (2h pós-desjejum: GPD e pós-almoço: GPA) e a HbA1C, sendo fornecido o desjejum e o almoço segundo seus hábitos alimentares. Mediu-se a glicose plasmática pela glicose-oxidase e a HbA1C, pela cromatografia de troca iônica. Realizou-se a análise das associações pelo coeficiente de correlação de Spearman, com P< 0,05. RESULTADOS: A HbA1C correlacionou-se melhor em cada visita ao longo do estudo com a GPD (r: 0,66-0,48), a glicemia média (r: 0,64-0,41), a área abaixo da curva glicêmica (r : 0,64-0,46) e a GPP média (r: 0,59-0,41). CONCLUSÕES: A GPD mostrou-se um parâmetro eficaz adicional no monitoramento glicêmico dos pacientes com DM2.
Save time & money - Smart Internet Solutions     

Tango Jona
Tangokurs Rapperswil-Jona