Academic Journals Database
Disseminating quality controlled scientific knowledge

Culverts in paved roads as suitable passages for Neotropical fish species

ADD TO MY LIST
 
Author(s): Sergio Makrakis | Theodore Castro-Santos | Maristela Cavicchioli Makrakis | Ricardo Luiz Wagner | Maurício Spagnolo Adames

Journal: Neotropical Ichthyology
ISSN 1679-6225

Volume: 10;
Issue: 4;
Start page: 763;
Date: 2012;
Original page

Keywords: Barriers | Criteria for culverts | Road crossing | Stream

ABSTRACT
Improperly installed or poorly maintained culverts can pose a serious threat to fish by disrupting their habitat and endangering spawning success. Road culverts that are not designed for fish passage frequently can become obstacles. This can be especially problematic for migratory species, but can lead to fragmentation of resident populations as well. This study evaluated 40 culverts of 29 sites within a 25-km radius from Toledo city, Paraná State, southern Brazil, with respect to their likely effects on movement of the local ichthyofauna. We collected data on the shape and length of culverts, culvert material, waterfall height, water column depth, slope, and estimated flow velocity. Culverts were categorized by level of barrier risk for upstream migration: high, medium, low, and impassable, as well as the type of barrier posed (fall height, depth, length and velocity). Most of culverts analyzed were considered potential barriers to fish movement, with 45% classified as impassible, 45% as high risk, 10% as medium risk, and no culverts as low risk. Brazilian culverts as fishways will require additional monitoring and studies to corroborate the premises proposed in the present study. Road culvert projects that are properly built and maintained will be able to simultaneously improve function of roadways and protect fish populations.Bueiros incorretamente instalados ou mal conservados podem representar uma séria ameaça para os peixes por fragmentar o seu habitat e comprometer o sucesso da desova. Bueiros em estradas que não são projetados para passagem de peixes freqüentemente tornam-se obstáculos. Isso pode ser especialmente problemático para as espécies migratórias, mas também pode levar à fragmentação das populações de peixes residentes. Este estudo avaliou 29 locais com 40 bueiros dentro de um raio de 25 km de Toledo, Estado do Paraná, sul do Brasil, com relação aos seus prováveis efeitos sobre a movimentação da ictiofauna local. Dados foram coletados sobre a forma e o comprimento dos bueiros, material utilizado, altura da queda de água, profundidade, declividade e velocidade estimada do fluxo. Os bueiros foram categorizados pelo nível de risco como barreira a migração ascendente: alto, médio, baixo e impassável, bem como o tipo de barreira imposta (altura da queda, profundidade, comprimento e velocidade). A maioria dos bueiros analisados foi considerada barreira para o movimento dos peixes, com 45% classificados como intransitáveis, 45% como alto risco, 10 % como médio risco, não havendo bueiros com baixo risco. Bueiros brasileiros como passagens para peixes necessitarão de monitoramento e estudos adicionais para corroborar as premissas propostas no presente estudo. Projetos de bueiros em estradas que estão devidamente construídos e mantidos serão capazes de simultaneamente melhorar a função das rodovias e proteger as populações de peixes.

Tango Jona
Tangokurs Rapperswil-Jona

     Affiliate Program