Academic Journals Database
Disseminating quality controlled scientific knowledge

DEFINIÇÃO DE SÍTIOS EM POVOAMENTOS DE Pinus elliottii Engelm. NA REGIÃO DE ENCRUZILHADA DO SUL, RS

ADD TO MY LIST
 
Author(s): Marcos Vinicius Winckler Caldeira | Hélio Tonini | Juarez Martins Hoppe | Luciano Farinha Watzlawick | Gerson Luiz Selle

Journal: Ciência Florestal
ISSN 0103-9954

Volume: 6;
Start page: 1;
Date: 1995;
VIEW PDF   PDF DOWNLOAD PDF   Download PDF Original page

Keywords: Sítios florestais | Pinus elliottii | método multifatorial

ABSTRACT
O presente trabalho foi desenvolvido no “Projeto Ipiranga VII”, localizado na Fazenda Boa Vista no município de Encruzilhada do Sul, RS, pertencente a Empresa Ipiranga Florestal Ltda. O projeto foi implantado em 1987, tendo uma área total e efetivo plantio com Pinus elliotii de 311,59 ha e 200 ha, respectivamente. Este trabalho teve como objetivo determinar as características distintas da área em estudo (sítios) em função dos fatores edáficos, dendrométricos e da vegetação. O sítio I apresentou uma coloração bruno avermelhado escuro (5YR ¾ úmido) na profundidade de 0-10 cm. Este sítio possui solos rasos, apresentando uma profundidade inferior a 20 cm, a superfície do solo apresenta muitas pedras e pedriscos, textura arenosa a franco argilosa e estrutura granular grumosa. O sítio II possui uma coloração bem escura, diferenciando nitidamente do sítio I, pois na profundidade de 20-40 cm apresentou uma coloração bruno avermelhado escuro (5YR 2,5/2 úmido). Neste sítio o solo possui uma profundidade média a profunda, sendo que na maioria dos pontos de sondagem a profundidade do solo foi superior a 40 cm. A superfície do solo neste sítio apresentou poucas pedras e pedriscos, possuindo estrutura granular poliédrica a blocos subangulares e textura franco arenosa. Apesar do sítio I ter menor número de árvores por hectare, em torno de 120 árvores a menos que do sítio II, estas possuem um diâmetro basal médio menor que no sítio II, pois sabe-se que o diâmetro é diretamente influenciado pela densidade do povoamento, quanto mais denso for o povoamento, menor será o diâmetro do mesmo. A área basal média por hectare no sítio I foi de 32,40 m2/ha e 37,91 m2/ha para o sítio II, tendo uma diferença de 5,51 m2/ha. Visto que o Projeto Ipiranga VII possui dois sítios, percorreu-se toda a área com o objetivo de coletar amostras de solos em diferentes profundidades, que variam de 0 a 20 cm e de 20 a 40 cm, isto nos sítios I e II. A análise do solo revelou que o sítio II possui maior percentagem de matéria orgânica em ambas profundidades, podendo justificar a coloração mais escura do solo e mais disponibilidade de nitrogênio e outros nutrientes às plantas. Os dois sítios em ambas profundidades são muito ácidos, tendo uma necessidade média de calcário de 4,9 t/ha, pela tabela SMP, para atingir um pH de 5,5 o que seria ideal para Pinus e Eucalyptus. Essa acidez é refletida pelos teores de alumínio, ficando em torno de 1,0 meq/100 ml, com tendência de aumentar à medida que aumenta a profundidade de amostragem. A menor percentagem de argila foi encontrada nas profundidades 20-40 cm, tanto no sítio I como no sítio II, confirmando assim o tipo de solo da região (Padzólico vermelho-amarelo horizonte B textural).
Affiliate Program     

Tango Jona
Tangokurs Rapperswil-Jona