Academic Journals Database
Disseminating quality controlled scientific knowledge

Detecção rápida de Ceratocystis fimbriata em lenho infetado de eucalipto, mangueira e outros hospedeiros lenhosos Rapid detection of Ceratocystis fimbriata in infected wood of eucalyptus, mango, and other woody hosts

ADD TO MY LIST
 
Author(s): Francisco A Ferreira | Luis A Maffia | Evander A Ferreira

Journal: Fitopatologia Brasileira
ISSN 0100-4158

Volume: 30;
Issue: 5;
Start page: 543;
Date: 2005;
Original page

Keywords: etiologia | doença | fúngica | etiology | fungal disease

ABSTRACT
Desenvolveu-se uma técnica de detecção rápida de Ceratocystis fimbriata em lenho de eucalipto (Eucalyptus spp.) infetado, visualizando-se clamidósporos (aleuroconídios) ao microscópio ótico comum, em vasos do xilema, medula e raios medulares, a partir de cortes histopatológicos à mão livre, feitos com lâmina de barbear, ao microscópio estereoscópico. O tempo médio gasto para a detecção do patógeno, do corte histopatológico tangencial à total visualização dos clamidósporos ao microscópio ótico comum, foi de 3,5 min e bem menos utilizando-se corte longitudinal passando pela medula, contra, no mínimo, quatro a cinco dias, usando-se outras técnicas como o isolamento em BDA, deposição de fragmentos de lenho doente entre fatias de cenoura usadas como isca, ou pedaços de lenhos doentes deixados em câmara úmida. Essa técnica histopatológica é também viável para a detecção do patógeno em outros hospedeiros lenhosos e, inclusive, para a detecção de hifas de Lasiodiplodia theobromae, mesmo quando esses dois fungos estavam num mesmo tecido, como na doença-complexo seca de mangueira investigada no Sultanato de Omã. Além de eucalipto, mangueira (Mangifera indica) e cacaueiro (Theobroma cacao) é provável que essa técnica possa ser estendida para outros hospedeiros lenhosos de C. fimbriata.A quick histopathological technique was developed to detect clamidospores (aleuroconidia) of Ceratocystis fimbriata in infected xylem vessels and medulla of eucalyptus (Eucalyptus spp.) wood using light microscopy, and tangential hand prepared cross sections made with razor blade under a stereoscopic microscope. The average time necessary to detect the pathogen, including sample preparation and microscope observations, was 3.5 min and less when longitudinal sections passing by the medulla were made. Therefore, this method was significantly quicker than other traditional techniques such as pathogen isolation on potato-dextrose-agar medium, deposition of infected wood fragments between slices of carrot bait, or placing the infected pieces of wood in a moist chamber. This technique also was viable to detect C. fimbriata colonizing other woody hosts such as cocoa (Theobroma cacao), mango (Mangifera indica), and hyphae of Lasiodiplodia theobromae even when both organisms were in the same tissue as investigated in the mango blight disease in the Sultanate of Oman.
Why do you need a reservation system?      Save time & money - Smart Internet Solutions