Academic Journals Database
Disseminating quality controlled scientific knowledge

Economia solidária e reabilitação vocacional no campo da drogadição: possibilidades e limites das práticas atuais Cooperative work and vocational rehabilitation in the drug addiction treatment: opportunities and limitations of current practices

ADD TO MY LIST
 
Author(s): Alessandra Nagamine Bonadio | Cássio Silveira

Journal: Saúde e Sociedade
ISSN 0104-1290

Volume: 22;
Issue: 1;
Start page: 99;
Date: 2013;
Original page

Keywords: Transtornos Relacionados ao Uso de Substâncias | Reabilitação Vocacional | Políticas Públicas de Saúde | Trabalho | Readaptação ao Emprego | Substance-Related Disorders | Vocational Rehabilitation | Public Health Policy | Work | Supported Employment

ABSTRACT
Este artigo visa a contribuir ao debate sobre as potencialidades do trabalho no processo de recuperação de dependentes químicos. Consideramos nesta análise os princípios subjacentes à reabilitação vocacional praticada no contexto internacional, seguido da descrição das diretrizes brasileiras para a inclusão social de dependentes químicos por meio do trabalho. Por fim, procedemos a uma análise comparativa das matrizes conceituais, dos conceitos de saúde subjacentes e do potencial emancipatório em ambas as perspectivas. O material consultado foi levantado por meio de revisão bibliográfica em bases de dados da área da saúde. Já as informações sobre as diretrizes brasileiras foram coletadas nas publicações oficiais disponibilizadas on-line pelo Ministério da Saúde e Ministério do Trabalho e do Emprego do Brasil. A análise do material permitiu-nos verificar que a reabilitação vocacional praticada em países da América do Norte e da Europa destina-se a usuários de serviços de saúde mental, procedendo à inclusão pelo viés da doença. Enfatiza a recolocação no mercado formal de trabalho, por meio de programas voltados ao treinamento de habilidades para obter e manter um posto de trabalho conquistado. Já as diretrizes do governo brasileiro estão pautadas nos princípios do cooperativismo e da economia solidária. Privilegia o ser humano como sujeito e finalidade maior da atividade econômica, focalizando as potencialidades e recursos do trabalho, em detrimento das limitações impostas pela doença ou pela condição socioeconômica que tenha gerado a situação de exclusão.This paper contributes to the debate on the potencial of work in the recovery process of addicts. The vocational rehabilitation principles are analyzed and compared to the Brazilian guidelines for the work rehabilitation of this population. In this analysis we compare the underlying concept of health and the emancipatory potential in both perspectives. The literature on vocational rehabilitation was raised through a literature review on Medline, Pubmed and Lilacs, with the following key words: vocational rehabilitation, substance abuse treatment & work. The Brazilian Government guidelines were collected in the official publications available online by the Ministry of Health and Ministry of Labour and Employment of Brazil. The analysis of the material pointed out that the vocational rehabilitation practiced in North America and Europe focus on users of mental health services, proceeding to the work inclusion through the bias of the disease. The vocational rehabilitation emphasizes the replacement in the formal labor market, through programs aimed at skills training to get and keep a job. On the other hand, the Brazilian public policies are guided by the principles of cooperative and social economy. It privileges the human ethics in its entirety, as the subject and the purpose of higher economic activity, focusing on the strengths and resources of the work, rather than the limitations imposed by the disease or the socioeconomic status that has generated the situation of exclusion.
Why do you need a reservation system?      Affiliate Program