Academic Journals Database
Disseminating quality controlled scientific knowledge

Estressores e coping: enfermeiros de uma unidade de emergência hospitalar

ADD TO MY LIST
 
Author(s): Miriane Melo Silveira | Eniva Miladi Fernandes Stumm | Rosane Maria Kirchner

Journal: Revista Eletrônica de Enfermagem
ISSN 1518-1944

Volume: 11;
Issue: 4;
Start page: 894;
Date: 2009;
VIEW PDF   PDF DOWNLOAD PDF   Download PDF Original page

Keywords: Estresse | Enfermeiros | Serviço Hospitalar de Emergência.

ABSTRACT
O trabalho em Emergência é estressante, daí a importância de estratégias de coping para manutenção da saúde equalidade da assistência. O estudo busca identificar estressores vivenciados por enfermeiros que atuam em umaEmergência de um hospital geral, mecanismos de coping, bem como repercussões na assistência. Pesquisatransversal, quantitativa, analítica, na Emergência do Hospital Mãe de Deus, em Porto Alegre/RS, em 2007, com 19enfermeiros. Os instrumentos de coleta de dados foram “Inventário de Estresse em Enfermeiros”, duas questõesabertas e dados sociodemográficos. Maioria é mulher, especialista, 30-45 anos, 47,4% possuem filhos, 47% atuam de10-15 anos na profissão e 68% trabalham com exclusividade. Eles convivem com inúmeros estressores, a análise dascategorias do IEE mostra pequena variabilidade nos escores. Quanto às interferências dos estressores na assistência,destacam-se: demanda, afastamento da assistência, urgência de tempo, dentre outras. Quanto ao coping, sãoclassificadas em estratégias no trabalho e fora dele. As primeiras incluem diálogo, empatia, ajuda mútua e resoluçãode conflitos. As estratégias fora do trabalho incluem lazer, meditação, relaxamento, estar com a família e valorizar avida. O gerenciamento do estresse ocupacional pode repercutir em melhora do desempenho dos enfermeiros, compreservação da saúde e ampliação da qualidade da assistência.
Save time & money - Smart Internet Solutions      Why do you need a reservation system?