Academic Journals Database
Disseminating quality controlled scientific knowledge

Estudo comparativo entre bupivacaína a 0,5%, mistura enantiomérica de bupivacaína (S75-R25) a 0,5% e ropivacaína a 0,75% associadas ao fentanil em anestesia peridural para cesarianas

ADD TO MY LIST
 
Author(s): Côrtes Carlos Alberto Figueiredo | Oliveira Amaury Sanchez | Castro Luis Fernando Lima | Cavalcanti Franz Schubert | Serafim Maurício Marsaioli | Taia César | Taia Filho Siguero

Journal: Revista Brasileira de Anestesiologia
ISSN 0034-7094

Volume: 53;
Issue: 2;
Start page: 177;
Date: 2003;
Original page

Keywords: ANESTÉSICOS/Local | ANESTÉSICOS/bupivacaína | ANESTÉSICOS/mistura enantiomérica de bupivacaína (S75-R25) | ANESTÉSICOS/ropivacaína | CIRURGIA/Obstétrica | CIRURGIA/cesariana | TÉCNICAS ANESTÉSICAS/Regional | TÉCNICAS ANESTÉSICAS/peridural

ABSTRACT
JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: Estudos clínicos com enantiômeros levógiros dos anestésicos locais demonstraram maior segurança em função de menor cardiotoxicidade. Este estudo visou avaliar a qualidade da anestesia e as repercussões maternas e fetais com o emprego da bupivacaína a 0,5%, com a mistura enantiomérica da bupivacaína (S75-R25) a 0,5% e com a ropivacaína a 0,75% associadas ao fentanil, por via peridural em cesarianas. MÉTODO: Foram avaliadas 90 gestantes, estado físico ASA I, submetidas à cesariana eletiva sob anestesia peridural e divididas em 3 grupos: no grupo I receberam 23 ml de bupivacaína a 0,5% com epinefrina; no grupo II receberam 23 ml da mistura enantiomérica de bupivacaína (S75-R25) a 0,5% com epinefrina e no grupo III receberam 23 ml de ropivacaína a 0,75%. Associaram-se 2 ml de fentanil aos anestésicos locais. Foram avaliados: tempo de latência, duração da analgesia, grau de bloqueios motor e sensitivo, tempos de histerotomia e delivramento, relaxamento muscular e qualidade da anestesia, alterações hemodinâmicas e respiratórias maternas, presença de efeitos colaterais e vitalidade dos recém-nascidos através do índice de Apgar e da gasometria do cordão umbilical. RESULTADOS: Não houve diferença entre os grupos, exceto na qualidade da anestesia. Nos grupos com predominância da fração levógira foi clinicamente inferior, havendo necessidade de complementação da anestesia em 3 casos. A duração da analgesia foi maior no grupo da ropivacaína. CONCLUSÕES: A mistura enantiomérica (S75-R25) da bupivacaína a 0,5% e a ropivacaína a 0,75% por via peridural proporcionaram boas condições, tanto quanto a bupivacaína a 0,5%, para a realização do ato anestésico-cirúrgico. As repercussões nos neonatos mostraram que os agentes anestésicos foram igualmente seguros.
Why do you need a reservation system?      Affiliate Program