Academic Journals Database
Disseminating quality controlled scientific knowledge

Exigências em energia e proteína líquida para ovelhas da raça Santa Inês em lactação Net requirement of protein and energy of Santa Inês ewe in lactation

ADD TO MY LIST
 
Author(s): Gilberto de Lima Macedo Júnior | Iran Borges | Maria Izabel Carneiro Ferreira | Fernanda Oliveira Miranda Figueiredo | Marcio Gionardoli Texeira Gomes | Luigi Francis Lima Cavalcanti | Marcio Henrique Viana

Journal: Revista Brasileira de Saúde e Produção Animal
ISSN 1519-9940

Volume: 12;
Issue: 2;
Date: 2011;
Original page

ABSTRACT
Objetivou-se determinar as necessidades de proteína e energia líquida de ovelhas em lactação submetidas a dois manejos nutricionais na gestação e dois tipos de gestação. Os ensaios experimentais foram conduzidos nas instalações do Laboratório de Metabolismo e Calorimetria Animal do Departamento de Zootecnia da Escola de Veterinária da UFMG. Foram utilizadas 28 ovelhas da raça Santa Inês, em um delineamento experimental inteiramente casualizado em arranjo fatorial 2x2, e considerou-se dois tipos de gestação (simples e gemelar) e dois tipos de manejo nutricional (com e sem restrição). As ovelhas eram colocadas sobre plataforma e contidas para realização da ordenha. Para análise dos dados referentes às semanas em lactação utilizou-se o modelo de medidas repetidas no tempo. Os grupos experimentais foram avaliados mediante utilização do teste SNK a 5% de significância. A produção de leite não foi afetada pelo manejo nutricional, bem como a quantidade de gordura, proteína, energia e as necessidades em energia e proteína. Portanto, ficou evidenciado neste estudo que somente o manejo nutricional não foi capaz de alterar as variáveis estudadas. Ovelhas com gestação dupla apresentaram maior produção de leite, maiores teores de gordura e proteína no leite bem como maior valor energético do mesmo. As necessidades em energia e proteína foram maiores para ovelhas com gestação dupla. A produção de leite e as necessidades em energia e proteína foram maiores até a décima semana de lactação. A exigência nutricional em energia e proteína acompanhou a curva de produção de leite.This study aimed to obtain the protein and liquid energy requirements from lactating ewes under two nutritional managements during pregnancy and under two types of pregnancy. Experimental tests were conducted at the Animal Metabolism and Calorimetry Laboratory on Department of Animal Science from Veterinary School of UFMG. For the experimental testing, were used 28 Santa Ines sheeps in a completely randomized design under 2 x 2 factorial arrangement, considering two pregnancy types (single and double) and two nutritional managements (with and without restriction). Sheeps were placed on the platform and contained for milking. To analyse data regarding milking weeks it was used the model of repeated measures in time. The experimental groups were evaluated using the SNK test at 5% significance level. (1) Diets were compound of corn meal (Zea mays), soybean meal (Glycine max), chopped Tifton grass hay (Cynodon spp.) and limestone. Sheep’s specific mineralsupplement was offered ad libitum to the animals Milk production was not affected by nutritional management, as the amount of fat, protein and, energy from milk. The same results were observed to energy and protein requirements. This fact shows that the nutritional management, per se, was not able to change the variables studied. The double pregnancy produced more milk, fat and protein in milk increasing its energy value. Energy and protein requirements were higher in ewes with double pregnancy. Milk production, energy and protein requirements were higher until the tenth week of lactation. Energy and protein nutritional requirement followed the milk production curve.
Why do you need a reservation system?      Save time & money - Smart Internet Solutions