Academic Journals Database
Disseminating quality controlled scientific knowledge

Fracionamento do grão de Amaranthus cruentus brasileiro por moagem e suas características composicionais

ADD TO MY LIST
 
Author(s): Marcílio Roberto | Amaya-Farfan Jaime | Ciacco César F. | Spehar Carlos R.

Journal: Ciência e Tecnologia de Alimentos
ISSN 0101-2061

Volume: 23;
Issue: 3;
Start page: 511;
Date: 2003;
Original page

Keywords: pseudo-cereal | refino | aminoácidos essenciais | fibras | valor nutritivo

ABSTRACT
O grão de amaranto é geralmente consumido na sua forma integral. Este estudo teve como objetivo avaliar o efeito da moagem do grão de amaranto (Amaranthus cruentus) brasileiro na composição química, nutricional, a estabilidade à oxidação e cor da farinha. Os grãos foram pré-condicionados para umidades entre 9,2 e 13,7% e fracionados em moinho para cereais. O aumento da umidade de 9,2 para 13,7% resultou na diminuição progressiva do rendimento da farinha, de 39 para 14%. A farinha refinada (quebra + redução), com 9,2% de umidade, mostrou teores de proteína total de 13,9%, contra 16,2% da farinha integral. O teor de lipídeos totais no amaranto integral (9,2% de umidade) variou de 6,78, para 6,11% na farinha refinada e o teor de fibra nos farelos diminuiu de 3,6 para 3,1%, ao passo que a cor da farinha se tornou mais atraente. Conclui-se que o fracionamento da farinha do grão de amaranto, apesar de produzir uma farinha com melhor aparência e alto teor protéico, apresenta rendimento baixo e não mostra diminuição substancial no teor de óleo da farinha refinada como para garantir uma maior estabilidade à autooxidação.
Save time & money - Smart Internet Solutions      Why do you need a reservation system?