Academic Journals Database
Disseminating quality controlled scientific knowledge

A Geografia da Inovação: uma Metodologia de Regionalização das Informações de Gastos em P&D no Brasil

ADD TO MY LIST
 
Author(s): Rodrigo Simões | Alessandra Oliveira | Ayane Gitirana | Juliana Cunha | Márcia Campos | Wellington Cruz

Journal: Revista Brasileira de Inovação
ISSN 1677-2504

Volume: 4;
Issue: 1 jan/jun;
Start page: 157;
Date: 2005;
Original page

Keywords: Estatísticas de Pesquisa e Desenvolvimento | Metodologia de Regionalização | Brasil

ABSTRACT
A análise da produção científica e tecnológica no território brasileiro, a fim tanto de entender os determinantes desta prática no espaço, bem como contribuir para a elaboração de políticas específicas para o fomento destas atividades, tem sido objeto de vários estudos contemporâneos. Estes, geralmente, utilizam-se de variáveis proxies, sendo as mais comumente encontradas na literatura nacional as referentesa publicações de artigos e a registros de patentes. A publicação da Pesquisa Industrial de Inovação Tecnológica – PINTEC, em 2002 abriu a possibilidade de se avaliar o desenvolvimento tecnológico brasileiro a partir de gastos em P&D, colocando o País no rol daqueles que divulgam estatísticas utilizando metodologia internacionalmente aceita sobre o assunto. Não obstante a disponibilização destas informações pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE, ainda são poucos os trabalhos que utilizam-nas para um estudo mais detalhado da distribuição espacial da inovação tecnológica brasileira. Diante disso, o presente trabalho faz uso dos dados, agregados por setor, de gastos em P&D fornecidos pela PINTEC, de informações sobre mão-de-obra qualificada oriundas da Relação Anual de Informações Sociais – IBGE (RAIS) e dados de patentes do Instituto Nacional de Propriedade Industrial – INPI, para a proposição e estimação de uma metodologia – que utiliza técnica de “ajustes biproporcionais de resíduos”, tal como em Bacharach (1970) – que objetiva a regionalização, ao nível das unidades federativas, da atividade inovativa interna às firmas no País.The analysis of Brazilian scientific and technological production, both in order to understand the determinants of this practice in space, and to contribute to the construct of specific policies for the fostering of these activities, has been the object of various contemporary studies. These, in general, make use of proxies variables, those concerning article publishing and patent registers being the most commonly found in national literature. The issuance of PINTEC – Industrial Research of Technological Innovation, in 2002 provided the possibility of assessing Brazilian technological development from the point of view of expenses with Research and Development (R&D), putting our country in the roll of those that disclose statistics using internationally accepted methodology of the subject. Notwithstanding the availability of this information through IBGE – Brazilian Institute for Geography & Statistics, still very few works use it for a more detailed study of Brazilian technological innovation’s special distribution. With this in view, the present work makes use of the sectorial data of expenses in R&D furnished by PINTEC and of information on skilled labor derived from the Social Information Annual Register – RAIS-IBGE and of data on patentes from the National Institute for Industrial Property – INPI, for the proposal and estimate of a methodology using a technique of “bi-proportional of residues adjustment”, as in Bacharach (1970), in order to get the Brazilian regional picture of innovative activity at the level of the country's federal unit.

Tango Rapperswil
Tango Rapperswil

     Save time & money - Smart Internet Solutions