Academic Journals Database
Disseminating quality controlled scientific knowledge

Gonadotrophin in the induction of estrus in bitches Gonadotrofinas na indução do estro em cadelas

ADD TO MY LIST
 
Author(s): Ana Paula Coelho Ribeiro | Wilter Ricardo Russiano Vicente | Ivo Walter dos Santos | Eliandra Antonia Pires | Aracélle Elisane Alves | Maricy Ferreira Apparício

Journal: Revista Brasileira de Saúde e Produção Animal
ISSN 1519-9940

Volume: 8;
Issue: 4;
Date: 2007;
Original page

ABSTRACT
The present study aimed to investigate the efficiency of gonadotrophins to induce estrus in bitches, which was monitored using vaginal cytology, serum progesterone and ovarium morphology. Nine bitches of different breeds ageing one to four years were used. The protocol of estrus induction consisted of daily administration of eCG (equine chorionic gonadotrophin) at dose of 30 UI/kg, once daily, for nine days, followed by a single administration of hCG (human chorionic gonadotrophin) at dose of 500 UI/animal on the tenth day. Vaginal cytology was done every two days. On the 12nd day after the beginning of this protocol, ovariohysterectomy was performed to collect the ovaries; serum was collected for progesterone concentration. Every animal showed cytological alterations by the progression from proestrus to estrus. Progesterone concentrations revealed values above the expected which may demonstrate exacerbate pre-ovulatory luteinization. Ovaries presented high rates of growing follicles as well as ruptured, demonstrating the effectiveness of the protocol in promoting the ovulation. The follicular fluid was viscous and adhered to the oocytes. In conclusion, the employed protocol seems to be effective in the induction of the estrus in bitches.O estudo foi realizado no Setor de Obstetrícia Veterinária, da Faculdade de Ciências Agrárias e Veterinárias – Unesp ( Campus de Jaboticabal) com o objetivo de analisar a eficiência de gonadotrofinas na indução do estro em cadelas, por meio da avaliação da citologia vaginal, dosagem sérica de progesterona e morfologia ovariana. Foram utilizadas nove fêmeas caninas, de diferentes raças (e sem raça definida), com idades entre um e quatro anos. O protocolo de indução compreendeu aplicações diárias de gonadotrofina coriônica eqüina (eCG) na dosagem de 30 UI/kg, uma vez ao dia, por 9 dias, seguido de aplicação de gonadotrofina coriônica humana (hCG ) na dosagem de 500 UI/ por animal, em aplicação única no dia 10 do protocolo. Foi avaliada a citologia vaginal a partir do início do protocolo, a cada 48 horas, até o final do mesmo. No dia 12 do protocolo, foi realizada coleta de sangue para dosagem de progesterona e avaliação das estruturas ovarianas, por meio de laparotomia. Todos os animais apresentaram alterações progressivas de citologia vaginal para a fase de proestro, seguida de estro. Os valores médios das concentrações séricas de progesterona foram de 14 ng/mL, apresentando-se acima dos níveis fisiológicos esperados para a fase avaliada, demonstrando luteinização exacerbada.Os ovários apresentaram altas taxas de folículos crescidos, bem como rompidos, sendo observada a efetividade do protocolo na indução da ovulação. Ainda, como achado do presente estudo, observou-se presença de fluido folicular muito viscoso e em íntima aderência aos oócitos. Em conclusão, o protocolo utilizado parece ser efetivo na indução de estro em cadelas, sob análise dos parâmetros avaliados.
Save time & money - Smart Internet Solutions     

Tango Jona
Tangokurs Rapperswil-Jona