Academic Journals Database
Disseminating quality controlled scientific knowledge

Incidência de Doenças Metabólicas em Frangos de Corte no Sul do Brasil e Uso do Perfil Bioquímico Sanguíneo para o seu Estudo

ADD TO MY LIST
 
Author(s): González FHD | Haida KS | Mahl D | Giannesi G | Kronbauer E

Journal: Revista Brasileira de Ciência Avícola
ISSN 1516-635X

Volume: 3;
Issue: 2;
Start page: 141;
Date: 2001;
Original page

Keywords: frangos | perfil metabólico | síndrome ascítica | síndrome de morte súbita | síndromes metabólicas

ABSTRACT
Esse trabalho foi realizado em granjas de frangos de corte localizadas no estado do Paraná (sul do Brasil). Foram consideradas 450 granjas, perfazendo uma população total de 4,5 milhões de frangos em um período de 6 meses, durante o qual foram registradas a mortalidade total e as mortes devidas a síndromes metabólicas relacionadas com síndrome ascítica e síndrome de morte súbita, entre a 1ª e a 7ª semana de vida. A mortalidade total foi de 4,8%. Desse total, 12,9% foram registrados como mortos compatíveis com síndrome ascítica e 26,4% compatíveis com síndrome de morte súbita. O pico de mortalidade esteve na 5ª semana de idade para a síndrome ascítica e na 6ª semana para a síndrome de morte súbita. Discute-se que a síndrome de morte súbita pode estar incluindo morte súbita por stress calórico. Os perfis bioquímicos do soro sangüíneo mostraram que aves acometidas por sinais compatíveis com síndrome de morte súbita se caracterizaram por hiperproteinemia, hiperlipidemia, aumentos de ácido úrico, fósforo e magnésio. Nesse caso, o perfil revelou também um choque hipovolémico, além de acidose metabólica e distúrbios no metabolismo dos lipídios. O perfil dos frangos acometidos por sinais compatíveis com síndrome ascítica mostrou depressão do metabolismo energético, evidenciado por diminuição dos níveis de glicose, colesterol e triglicerídeos, além de hipoproteinemia e hipocalcemia.
Why do you need a reservation system?      Save time & money - Smart Internet Solutions