Academic Journals Database
Disseminating quality controlled scientific knowledge

Lúdico, infância e educação escolar: (des)encontros. Playful, childhood and schooling: (mis)matches

ADD TO MY LIST
 
Author(s): Alves, Fernando Donizete | Sommerhalder, Aline

Journal: Revista Eletrônica de Educação
ISSN 1982-7199

Volume: 4;
Issue: 2;
Start page: 144;
Date: 2010;
Original page

Keywords: lúdico | educação infantil | professor | psicanálise | ludic | early childhood education | teacher | psychoanalysis

ABSTRACT
Essa pesquisa reconhece no lúdico um rico espaço de aprendizagem para a criança, uma vez que mobiliza fantasias da ordem do erótico e do agressivo e faz delas alimento para a elaboração de um saber ao nível da razão, pela via da simbolização e da sublimação. Assim sendo, questiona-se como o lúdico tem sido considerado e acolhido na instituição de educação infantil brasileira. O objetivo dessa pesquisa é investigar como o lúdico é acolhido na prática pedagógica do professor que atua na instituição de Educação Infantil. Foram realizadas entrevistas com três professoras que trabalham em instituições de educação infantil pública municipal de uma cidade do interior do Estado de São Paulo, Brasil. As entrevistas foram analisadas à luz do referencial teórico psicanalítico. As análises apontam que as professoras concebem o lúdico ora como recreação ora como instrumento pedagógico, essencialmente. Tomado como recreação, o lúdico é caracterizado como passatempo, atividade descompromissada, improdutiva, sem valor. Tomado como recurso/instrumento didático para o ensino de determinados conteúdos/conhecimentos (como o alfabeto, por exemplo), o lúdico racionalizado. Concluindo, podemos dizer que, muito embora o lúdico esteja presente na escola, o que essa pesquisa demonstra é uma desvalorização do lúdico como recurso educativo. Desvalorização que denota a desconsideração da escola contemporânea em relação ao inconsciente – ao desejo, a fantasia, ao infantil.This research recognizes in the ludic a rich learning space for the child, as it mobilizes erotic and aggressive fantasies, feeding the elaboration of knowledge at the level of reason by symbolization and sublimation. In this study, the way the ludic has been considered and welcomed at the preschool in Brazil is questioned. The objective of this research is to investigate how the ludic is upheld in the pedagogical practice of the teacher who works in early childhood education centers. Interviews were conducted with three teachers working in early childhood education institutions of a city in the state of São Paulo, Brazil. The interviews were analyzed from the psychoanalytical theory. The analyses indicate that teachers essentially perceive the ludic as recreation and as an educational tool. Defined as recreation, the ludic is characterized as a hobby, an uncompromising, unproductive, worthless activity. When perceived as a resource/teaching tool for teaching certain content/knowledge (like the alphabet, for example), the ludic is rationalized. In conclusion, we can say that, although the ludic is present in school, this research shows its depreciation as an educational resource. This slight devaluation denotes the disregard of contemporary school in relation to the unconscious - the desire, the fantasy, the infantile.
Affiliate Program      Why do you need a reservation system?