Academic Journals Database
Disseminating quality controlled scientific knowledge

Polinização artificial da atemóia com diversas fontes de pólen comparada com a natural

ADD TO MY LIST
 
Author(s): Melo Marcelo Rosa | Pommer Celso Valdevino | Kavati Ryosuke

Journal: Bragantia
ISSN 0006-8705

Volume: 61;
Issue: 3;
Start page: 231;
Date: 2002;
Original page

Keywords: atemóia | anonáceas | polinização artificial e natural | fontes de pólen

ABSTRACT
Para estudar a polinização da atemóia (Annona squamosa L. x A. cherimola) e determinar a técnica de polinização que produz frutos em maior quantidade e melhor qualidade, montou-se um experimento de polinização. O experimento foi realizado com a cultivar Gefner, no período de novembro de 2000 a março de 2001, em pomar comercial, localizado em Lins (SP), a 424 metros de altitude. As plantas apresentavam 13 anos de idade. Empregou-se o delineamento de blocos ao acaso, com cinco tratamentos e seis repetições. Os tratamentos foram os seguintes: 1) polinização manual (pólen de A. squamosa L.); 2) polinização manual (pólen da atemóia cultivar Gefner); 3) polinização manual (pólen da atemóia cultivar African Pride); 4) polinização manual (pólen da atemóia cultivar PR-3); 5) polinização natural ou aberta. A avaliação do vingamento dos frutos ocorreu dez dias após a polinização e da quantidade dos frutos com conformação perfeita ou defeituosa, aos 40 dias. Os frutos foram colhidos 120 dias após a polinização e pesados individualmente. Amostraram-se, também, três frutos para as seguintes determinações: massa de sementes e da polpa, número de sementes por 100 gramas de polpa, teor de sólidos solúveis totais, acidez total e relação sólidos solúveis/acidez. Para a atemóia, a polinização com pólen de A. squamosa L. foi mais efetiva, aumentando o vingamento de frutos (80,5%, comparado com outros quatro tratamentos, que foi menos de 22%), a produção e a porcentagem de frutos perfeitos.
Why do you need a reservation system?      Affiliate Program