Academic Journals Database
Disseminating quality controlled scientific knowledge

Relação entre o nevo melanocítico congênito pequeno e melanoma cutâneo

ADD TO MY LIST
 
Author(s): Maia Marcus | Russo Carla | Ferrari Nelson | Jorge Douglas | Ribeiro Manoel Carlos S. de A. | Muller Helena | Di Giunta Gabriela

Journal: Anais Brasileiros de Dermatologia
ISSN 0365-0596

Volume: 78;
Issue: 2;
Start page: 189;
Date: 2003;
Original page

Keywords: melanoma | nevo pigmentado

ABSTRACT
FUNDAMENTOS: O risco da ocorrência, de Melanoma Cutâneo (MC), no Nevo Melanocítico Congênito Pequeno (NMCP) (< 3 cm), não tem sido motivo de estudos freqüentes ou mesmo recentes. A conduta a respeito de tais lesões ainda não apresenta nenhum consenso. OBJETIVOS: o propósito deste estudo foi avaliar a freqüência do melanoma cutâneo originado em Nevo Melanocítico Congênito Pequeno, e discutí-lo em relação a literatura, com propósitos de conduta prática. CASUÍSTICA E MÉTODOS: de um total de 204 pacientes, com Melanoma Cutâneo, foram selecionados aqueles cuja doença foi originada de um Nevo Melanocítico Congênito Pequeno. O critério de inclusão foi clínico, baseado na informação do paciente. RESULTADOS: Do total de 204 pacientes, 44(21,6%) com Intervalo de Confiança (IC) de 12,2 a 28,0% , resultaram da transformação de um Nevo Congênito Melanocítico Pequeno. Nenhum caso ocorreu antes dos vinte anos e não houve uma faixa etária preferencial de transformação. CONCLUSÕES: O Nevo Congênito Melanocítco Pequeno é precursor do Melanoma Cutâneo; a transformação, provavelmente, não ocorre antes da puberdade; o risco de transformação, após a puberdade, parece existir de forma homogênea por toda a vida. Sugestão: a excisão deve ser realizada no início da puberdade.
Why do you need a reservation system?      Affiliate Program