Academic Journals Database
Disseminating quality controlled scientific knowledge

Síndrome ascítica em frangos de corte: uma revisão sobre a fisiologia, avaliação e perspectivas

ADD TO MY LIST
 
Author(s): Rosário Millor Fernandes do | Silva Marco Aurélio Neves da | Coelho Antonio Augusto Domingos | Savino Vicente José Maria

Journal: Ciência Rural
ISSN 0103-8478

Volume: 34;
Issue: 6;
Start page: 1987;
Date: 2004;
Original page

Keywords: ambiente | ascite | coração | frango de corte | genética | pulmão

ABSTRACT
Os programas de melhoramento genético de frangos de corte que buscam máxima velocidade de ganho de peso, alta eficiência alimentar, alta viabilidade, maior rendimento de carcaça e menor deposição de gordura podem desencadear algumas síndromes fisiológicas, dentre as quais destacam-se o estresse calórico, a morte súbita e a ascite. A ascite se enquadra no conceito das síndromes multifatoriais, uma vez que sua manifestação ocorre quando certos fatores genéticos e ambientais atuam em conjunto determinando o processo. As limitações anatômica e fisiológica da circulação sanguínea nos pulmões provocam a síndrome de hipertensão pulmonar (PHS); esta pode provocar grande acúmulo de fluido na cavidade abdominal, quadro este denominado de ascite. Ocorre redução da eficiência da circulação sangüínea, levando as aves à morte por hipóxia, predominantemente no período entre 30 e 40 dias de idade. Uma vez desencadeado o processo ascítico, a ave dificilmente é aproveitada no abate já que a mesma restringe o consumo de alimento, ganhando menos peso. Adicionalmente, a carcaça apresenta aumento do volume da cavidade abdominal e conseqüente congestão dos órgãos internos. A descrição da fisiologia, medidas de avaliação e perspectivas são apresentadas neste trabalho.

Tango Jona
Tangokurs Rapperswil-Jona

     Save time & money - Smart Internet Solutions