Academic Journals Database
Disseminating quality controlled scientific knowledge

Spatial variability of co2 emission, temperature and moisture of a bare oxisol submitted to different wetting levels /
Variabilidade espacial da emissão de CO2, da temperatura e umidade de um latossolo desprovido de vegetação sob diferentes lâminas de molhamento

ADD TO MY LIST
 
Author(s): Alan Rodrigo Panosso | Carlos Eduardo Rodrigues Ribeiro | José Renato Zanini | Luiz Carlos Pavani | Gener Tadeu Pereira | Newton La Scala Júnior

Journal: Semina : Ciências Agrárias
ISSN 1676-546X

Volume: 30;
Issue: supl.;
Start page: 1017;
Date: 2009;
Original page

Keywords: Respiração do solo | Geoestatística | Irrigação por aspersão

ABSTRACT
The irrigation application is one of the most useful techniques in tropical environments, especially during dry seasons. In this study, CO2 efflux, temperature and soil moisture were studied in a field sampled with a grid having 48 points distributed in 35 x 25 m, under irrigation promoted by a sprinkler located at the center of the area, provoking different levels of water deposition, with maximum irrigation levels of 44.4 and 62.2 mm in points closer to the sprinkler. The results show that the emissions, temperature and moisture were strongly affected by the two irrigations events, having a total water level added of 106,6 mm for the points next to the sprinkler and zero for the most distant points from it. The maps of space variation of the variables, as well as the linear correlation between them, indicate that the emissions were positively related to the soil moisture and negative correlated to the soil temperature only after the irrigations events. The special variability models of soil CO2 emission changed from exponential to spherical after the irrigations events. Such results indicate that soil moisture is among possible controlling factors of the soil CO2 emission, because even with reductions in soil temperature provoked by the wetness, emissions increased strongly.A aplicação de lâminas de irrigação em solos é uma das práticas mais adotadas em ambientes tropicais, especialmente em épocas de seca. Neste trabalho, investigaram-se as emissões de CO2, temperatura e umidade do solo, em 48 pontos distribuídos numa área de 35 x 25 m, afetados por irrigações, promovidas com um aspersor localizado no centro da área, que provocou um molhamento com perfil triangular com lâminas máximas aplicadas de 44,4 e 62,2 mm nos pontos mais próximos do aspersor, Os resultados indicam que as emissões, temperatura e umidade do solo foram fortemente afetadas pelas duas irrigações na área, cuja lâmina total de água somou 106,6 mm para os pontos mais próximos do aspersor e aproximadamente zero para os pontos mais distantes. Os mapas de variação espacial das variáveis, bem como a correlação linear entre elas, indica que as emissões estiveram positivamente relacionadas à umidade do solo e negativamente correlacionadas à temperatura do solo, após os eventos de molhamento da área. Os modelos de variabilidade espacial da emissão de CO2 mudam de exponencial para esféricos logo após os eventos de irrigação. Tais resultados indicam que o fator limitante à emissão de CO2 do solo foi a umidade, pois, a despeito das reduções na temperatura do solo provocadas pelo molhamento, as emissões foram fortemente aumentadas.
Why do you need a reservation system?      Save time & money - Smart Internet Solutions