Academic Journals Database
Disseminating quality controlled scientific knowledge

Suicídio em jovens: fatores de risco e analise quantitativa espaço-temporal (Brasil, 1991-2001) Suicide in young people: risk factors and quantitaive space-time analysis

ADD TO MY LIST
 
Author(s): Regina S Rodrigues | Ana Claudia F. M. Nogueira | Jorge Antolini | Victor Berbara | Cátia Oliveira

Journal: Revista Brasileira de Medicina de Família e Comunidade
ISSN 1809-5909

Volume: 2;
Issue: 7;
Start page: 177;
Date: 2010;
Original page

Keywords: Suicídio | Saúde do Adolescente | Epidemiologia

ABSTRACT
O suicídio representa atualmente um sério problema de Saúde Coletiva, sendo a segunda causa de morte em jovens na Itália, na França e no Reino Unido e a terceira nos EUA. Este trabalho objetiva estudar a mortalidade por suicídio em adolescentes residentes nas cinco regiões do Brasil, comparativamente, no período de 1991 a 2001, revendo também os principais fatores de risco (FR) descritos na literatura. Metodologia: trata-se de um estudo epidemiológico, com enfoque sobre a Saúde Mental Juvenil. Foram utilizados os dados do Sistema de Informação de Mortalidade do Ministério da Saúde. Realizou-se a revisão da literatura por meio dos Sistemas Lilacs e Medline, além de livros temáticos. A discussão, de forma contextualizada, teve por base o Pensamento da Complexidade proposto por Edgar Morin. Resultados: foram registrados 69.811 óbitos por suicídio no período estudado, sendo 6.985 casos no grupo dos adolescentes. Os maiores Coeficientes de Mortalidade/100 mil habitantes ocorreram preponderantemente na região sul (1992 a 1994; 1996 a 1998; 2001), seguida pela região centro-oeste. Os principais FR descritos foram história de tentativas anteriores, ideação suicida, maus tratos, condições socioeconômicas precárias, doenças crônicas severas, impulsividade, depressão e esquizofrenia. O suicídio reflete características e valores relevantes de uma sociedade. Representa um sistema complexo e deve ser sempre analisado no contexto individual, social e coletivo. A atuação do profissional de Atenção Primária à Saúde (APS) é fundamental para a prevenção, por meio da identificação dos fatores e situações de risco, no contexto individual, familiar e comunitário.Suicide is today a huge public health problem (OMS, 2000). It is the second leading cause of death among young people in Italy, France and the United Kingdom and the third in the United States. The aim of this paper was to develop a comparative study of mortality from suicide in adolescents living in the five regions of Brazil during the period 1991-2001, and to review the risk factors (RF) described in the literature. Methodology: this is an epidemiological study focusing on juvenile mental health using the data of the Mortality Information System of the Ministry of Health. The review of the literature was performed using the data- bases Lilacs and Medline as well as books dealing with the issue. The discussion is based on Edgar Morin’s concept of “complexity” in a contextualized form. Results: 69.811 deaths from suicide were registered during the period under study, 6.985 from these in the group of adolescents. The highest mortality coefficients/100 thousand inhabitants occurred in the south of the country (1992 to 1994; 1996 to 1998; 2001), followed by the centralwest. The principal risk factors described in the literature were history of previous attempts, suicidal ideas, ill treatment, precarious socio-economic conditions, severe chronic disease, impulsivity, depression and schizophrenia. Suicide reflects characteristics and relevant values of a society. It represents a complex system that should always be analyzed in the context of the individual, the society and the community. The acting of the primary health care professional in the sense of identifying the risk factors in the individual, familiar and community context is fundamental in the prevention of suicide.

Tango Rapperswil
Tango Rapperswil

     Affiliate Program