Academic Journals Database
Disseminating quality controlled scientific knowledge

Trabalho, sociabilidade e individuação Work, sociability and invidualization

ADD TO MY LIST
 
Author(s): Sergio Lessa

Journal: Trabalho, Educação e Saúde
ISSN 1678-1007

Volume: 4;
Issue: 2;
Start page: 231;
Date: 2006;
Original page

Keywords: ontologia | Marx | Lukács | Mészáros | ontology | Marx | Lukács | Mészáros

ABSTRACT
O ensaio argumenta que o fato de vivermos em uma sociedade que se reproduz enquanto uma 'imensa coleção de mercadorias' faz com que a mercadoria seja a relação social predominante entre os indivíduos. Como, entre as características decisivas da mercadoria, está o desprezo da utilidade dos produtos do trabalho na mesma propoprção do predomínio do lucro (o predomínio do valor de troca sobre o valor de uso), uma sociedade mercantil é aquela na qual a produção tem por objetivo não as necessidades humanas, mas o lucro. Com a crise estrutural do capital que se instaura a partir dos anos 70 (Mészáros), a manutenção de uma sociedade que se reproduz pela mediação da reprodução da mercadoria impõe aos seres humanos uma vida crescentemente alienada. Alienada em dois sentidos: as necessidades humanas comparecem de modo cada vez mais débil na produção social e, por outro lado, a produção perdulária e destrutiva torna-se a expressão predominante da desumanidade do capital. É neste conjunto de fatores que se baseiam as determinações fundamentais que articulam, hoje, o trabalho, a totalidade social (a sociabilidade) e a reprodução dos indivíduos (a individuação).The essay argues that the fact of us living in a society that reproduces while a 'huge collection of merchandize' forces the merchandize to be predominant social relation between individuals. Since, among the decisive characteristics of the merchandize, we have the contempt for the usefulness of the products of labor (the supremacy of the Exchange value over the vale of use), a Merchant society is that in which the production has as its purpose not the human needs, but profit. With the structural crisis of capital which is installed from the 1970's, (Mészáros), the maintenance of a society which reproduces by the mediation of reproduction of merchandize imposes to the human beings a life increasingly alienated. Alienated in two senses: the human needs present themselves in a manner that is weaker and weaker in social production and, on the other hand, the spendthrift and destructive production becomes the predominant expression of the inhumanity of capital. It is in this group of factors that the fundamental determinations that articulate, today, labor, social wholeness (sociability) and reproduction of individuals (individuality) is based.
Why do you need a reservation system?      Affiliate Program