Academic Journals Database
Disseminating quality controlled scientific knowledge

Variabilidade de isolados de Alternaria brassicicola no Estado de Pernambuco

ADD TO MY LIST
 
Author(s): Michereff Sami J. | Noronha Marissônia A. | Rocha Jr Otacílio M. | Silva Jearbes A. | MizubutiI Eduardo S.G.

Journal: Fitopatologia Brasileira
ISSN 0100-4158

Volume: 28;
Issue: 6;
Start page: 656;
Date: 2003;
Original page

Keywords: alternariose | crucíferas | componentes epidemiológicos | sensibilidade a iprodione

ABSTRACT
A variabilidade de 38 isolados de Alternaria brassicicola foi estimada com base em variáveis relacionadas ao desenvolvimento da alternariose e à fisiologia do patógeno. Os isolados foram coletados de cultivos comerciais de crucíferas do Estado de Pernambuco. Cada isolado foi inoculado em plantas de repolho (Brassica oleracea var. capitata), cv. Midori, com 40 dias, em casa de vegetação e os seguintes componentes epidemiológicos foram medidos: período de incubação (PI), severidade da doença (SEV) aos dez dias após a inoculação, taxa de progresso da doença (TPD) e área abaixo da curva de progresso da doença (AACPD). Cada isolado foi também avaliado quanto à taxa de crescimento micelial (TCM), esporulação (ESP), germinação de conídios (GER) e sensibilidade ao fungicida iprodione (ICM). Constatou-se grande variabilidade quanto às variáveis medidas. Não houve efeito significativo de hospedeiro do qual os isolados foram obtidos e a variabilidade entre isolados de uma hospedeira foi, em geral, maior que a variância residual; à exceção para as variáveis PI e GER. Não foram verificadas correlações significativas (P=0,05) das variáveis associadas à doença (PI, SEV, TPD e AACPD) com as demais variáveis. A análise da distancia Euclidiana por UPGMA não permitiu a separação dos 38 isolados do patógeno em grupos de similaridade, o que sugere variabilidade nas populações de A. brassicicola.
Why do you need a reservation system?      Save time & money - Smart Internet Solutions