Academic Journals Database
Disseminating quality controlled scientific knowledge

À margem: escrita de exceção em cartas controladas pelo estado = On the margins: writing of exception in letters controlled by the state

ADD TO MY LIST
 
Author(s): Vera Lucia Silva | Juliana da Silveira

Journal: Acta Scientiarum : Language and Culture
ISSN 1983-4675

Volume: 35;
Issue: 2;
Start page: 171;
Date: 2013;
VIEW PDF   PDF DOWNLOAD PDF   Download PDF Original page

Keywords: carta | texto | discurso | língua | sujeito | legislação | letter | text | discourse | language | subject | legislation.

ABSTRACT
O objetivo deste estudo é apresentar como a linguagem se materializa, enquanto um ritual que falha, no texto-carta produzido por pessoas em situação de segregação. Os conceitos teóricos de Michel Pêcheux, Eni Orlandi e outros autores serão norteadores da reflexão sobre essa escrita direcionada por uma legislação que impede, mas também autoriza o Estado a acionar seu olhar panóptico sobre esses sujeitos que, na posição de presidiários, tem o ‘direito’ de manter seu vínculo social com a sociedade extramuro. A evidência de uma língua transparente e sentido literal se desfazem diante da ilusão de completude que o Estado produz no modo como esse sujeito pode e deve escrever sua correspondência, mediante uma legislação que o norteia. Mas as falhas vão permeando esse ritual de escrita e o desejo do ‘escape’ produzem outros sentidos em um espaço que tenta controlar os movimentos desses agentes de violência que se materializam no desejo de transpor os muros e ir ao encontro do seu sonho de liberdade, via correio.This study aimed at presenting how language materialize, as a ritual that fails, in the context text-letter produced by people in a segregating situation. Michel Pêcheux’s, Eni Orlandi’s and other authors’ theoretical concepts lead the reflection on this writing directed by legislation that impedes, but that also authorizes the State to set its panoptic look on these subjects, who, being prisoners, have the ‘right’ to keep their social bond to the society outside. The evidence of a transparent language and literal sense vanish facing the completeness illusion that the State produces on the way that this subject can and must write their letters, respecting the legislation surrounding them. However, failures permeate this writing ritual and the desire of ‘escaping’ produce other meanings at a place that attempts to control the moves of these violence agents that materialize in the desire of transposing the gates and meet their dreams of freedom, by mail.

Tango Rapperswil
Tango Rapperswil

    
RPA Switzerland

RPA Switzerland

Robotic process automation